banner
Segurança em Armazéns


Em Portugal, as normas de segurança em armazéns são contempladas pelo Decreto-Lei n.º 243/86 de 20 de Agosto, que aprova o Regulamento Geral de Higiene e Segurança do Trabalho nos Estabelecimentos Comercias, de Escritório e Serviços.

Estas estruturas, devido às características que apresentam e aos trabalhos nelas desenvolvidos, são das que mais perigo apresentam. Entre os acidentes mais comuns estão as quedas (por escorregamento ou tropeção), lesão por queda de materiais e objetos ou por esforços físicos, arrastamento por objetos ou máquinas, acidentes com substâncias inflamáveis, empilhadores e outros meios de transporte utilizados, bem como com material utilizado na carga, descarga e arrumação (paletes, fita-cola, correias, objetos cortantes, entre outros).

Assim, as possibilidades de acidente são variadas e caracterizadas por uma constante mutação, dependendo do trabalho executado e dos materiais utilizados. Isto significa que além da entidade patronal ter a obrigação de zelar pelas condições de segurança e cumprimento das normas dentro do armazém, cabe também ao trabalhador ter uma postura atenta, tentando ao máximo evitar acidentes. Para isso, há algumas regras a ter em conta.
 

Limpeza e arrumação

Um dos aspetos simples de prevenção frequentemente ignorado é a limpeza e arrumação do armazém. O próprio artigo 7.º do Decreto Lei n.º 243/86 refere a obrigatoriedade de limpeza de pavimentos, utensílios ou equipamentos de uso diário, bem como das instalações higieno-sanitárias, como vestiários, lavabos, balneários, retretes e urinóis, ou outras comuns postas à disposição dos trabalhadores. Vários acidentes podem acontecer por mau acondicionamento ou limpeza do espaço, dos quais são exemplo:
  • Objetos fora do sítio correto.
  • Materiais mal fixados.
  • Objetos cortantes ou de grandes dimensões mal acondicionados.
  • Material inflamável, água, óleo ou outros líquidos derramados que podem provocar incêndios ou quedas (Artigo 32.º do Decreto Lei n.º 243/86). 

Transporte e Movimentação de Materiais ou Objetos 

Quando a tarefa implica o transporte de materiais ou objetos, seja através da utilização de máquinas, seja por força de braços, existem vários cuidados a ter em atenção: 
  • Os empilhadores requerem especial atenção devido ao facto de poderem capotar facilmente e deverem ser conduzidos a baixa velocidade e apenas por operários habilitados. Além disso, deve ter-se especial cuidado no acondicionamento da carga. Por outro lado, os restantes trabalhadores que se deslocam a pé devem também prestar atenção para não se atravessarem na zona utilizada pelo condutor.
  • Carrinhos-de-mão, reboques e outros equipamentos de carga exigem especial cuidado também, sobretudo devido a cargas mal acondicionadas ou demasiado grandes que possam provocar desequilíbrio ou má visibilidade.
  • No transporte de materiais por força de braços o principal problema são as lesões musculares.
  • Gruas, guinchos e guindastes também devem ser manuseados com cuidado e por operários especializados e experientes, assim como os restantes trabalhadores que não estão a manusear a máquina devem procurar afastar-se.
  • Por fim, há que ter especial cuidado no transporte e acondicionamento de materiais sensíveis a fim de evitar derrames químicos, fogos ou explosões. 

Utilização de Escadas

 Nos armazéns é frequente ter de lidar com material de grandes dimensões ou acondicionado em prateleiras, o que obriga ao uso de escadas. Nesses casos, para prevenir quedas, há que ter em atenção: 
  • Antes de mais, escolher a escada mais apropriada ao peso de quem a vai utilizar e ao trabalho que vai efetuar. 
  • A escada deve ser mais alta que o local onde se quer chegar e não ter peças soltas ou danificadas, pelo que se deve inspecionar bem o material antes de dar início à tarefa. 
  • Nunca utilizar escadas de metal perto de fontes elétricas. 
  • Apoiar a escada numa superfície estável e assentar os pés da mesma a uma distância da parede que seja equivalente a ¼ do comprimento. 
  • Não colocar a escada contra uma janela, caixilho, porta destrancada ou qualquer estrutura instável (caixas soltas, por exemplo). 
  • A escada não deve ser utilizada por mais que uma pessoa e os materiais devem ser presos num cinto ou corda, a fim de o trabalhador ter as mãos livres para se poder apoiar bem enquanto sobe. 

Segurança na Plataforma de Acondicionamento 

As plataformas de acondicionamento são um dos locais do armazém mais propícios a acidentes. Assim, antes de dar início a qualquer tarefa de carga ou descarga, deve verificar-se a capacidade da plataforma, além de: 
  • Ter especial cuidado com as condições atmosféricas, mantendo a área seca e sem gelo, evitando quedas. 
  • Não saltar da plataforma para o chão. 
  • Verificar se os meios de transporte têm as rodas bloqueadas uma vez em cima da plataforma 

Regras de Segurança nos armazenamentos e embalamento/desembalamento 

Já se falou acima da importância de manter tudo arrumado num armazém. Há, com efeito, cuidados que se devem ter durante os armazenamentos e embalamentos/desembalamentos que não estão relacionados apenas com a prevenção de quedas: 
  • Verificar se as prateleiras e zonas de trabalho estão em bom estado. 
  • Empilhar o material numa base plana, começando por colocar os objetos mais pesados e maiores no chão ou próximo dele. (ponto 1 do artigo 35.º do Decreto Lei n.º 243/86) 
  • Não empilhar os objetos de uma forma que bloqueie sprinklers ou tenha contacto direto com lâmpadas e tubos. (ponto 2 do artigo 35.º do Decreto Lei n.º 243/86)
No que diz respeito aos embalamentos e desembalamentos, há alguns cuidados que se devem ter: 
  • Precaução ao manusear os objetos cortantes utilizados na tarefa evitando cortes e não deixar os mesmos no chão. 
  • Ter cuidado também no manuseamento das cintas que prendem os materiais para evitar que elas ressaltem contra qualquer parte do corpo, sobretudo a cara (utilizar luvas e proteção ocular). Conforme estabelecido no artigo 47.º do Decreto Lei n.º 243/86, deve existir à disposição dos trabalhadores vestuário de trabalho e ou dispositivo de proteção individual contra os riscos resultantes das tarefas e operações efetuadas sempre que sejam insuficientes as medidas técnicas de higiene e segurança de carácter geral.

Atitude Preventiva 

Em qualquer tarefa e espaço de trabalho – e o armazém não é exceção – o mais importante é que o trabalhador tenha uma atitude preventiva. Independentemente de quão seguro é o equipamento de proteção ou de quão restritas são as regras, um trabalhador nunca estará seguro se a sua atitude não for preventiva. Por esse motivo, as regras são para ser levadas a sério, nomeadamente: 
  • Ter atenção à sinalização de aviso e obedecer à mesma. 
  • Ver bem por onde se anda e para onde se vai. 
  • Andar em vez de correr. 
  • Entregar em mão as ferramentas em vez de atirá-las.



© 2017 SEGURANÇA ONLINE TODOS OS DIREITOS RESERVADOS